Alunos de Cubatão devem iniciar as aulas virtuais no dia 14
8 de maio de 2020
Três contratos para exploração de áreas no Saboó são assinados no Porto de Santos | Porto Mar
18 de maio de 2020

Navio de contêineres com 15 casos de Covid-19 desembarca tripulantes para atendimento em Santos, SP | Porto Mar

[ad_1]

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou, nesta segunda-feira (18), que três tripulantes do navio de contêineres Log-in Jatobá foram desembarcados para atendimento hospitalar. A embarcação teve 15 casos de coronavírus confirmados e cumpre quarentena no Porto de Santos, no litoral de São Paulo, até 26 de maio.

Segundo a agência, os desembarques foram realizados no último sábado (16). A Anvisa colocou a embarcação em isolamento depois de 14 casos de Covid-19 serem confirmados por meio de testes laboratoriais. Nesta segunda, o resultado de mais um teste foi divulgado, confirmando 15 casos de coronavírus. A data de liberação do navio ainda pode ser alterada, dependendo da situação a bordo.

O navio deverá ficar atracado no cais santista para facilitar e agilizar caso precise ser feito algum novo desembarque para atendimento. O Log-in Jatobá chegou a Santos com 21 tripulantes brasileiros e passou por inspeção da Anvisa após cinco pessoas apresentarem sintomas da doença. Logo em seguida, as operações foram suspensas.

O navio de cargas Bárbara permanece em isolamento após dois tripulantes a bordo relatarem sintomas gripais. A Anvisa segue avaliando a situação da embarcação, que deveria ter sido liberado da quarentena no sábado.

Ao todo, dez tripulantes tiveram resultado de Covid-19 confirmado por testes do tipo PCR, que é o teste laboratorial mais eficiente. Os exames foram realizados em contraprova ao resultado inicial de testes rápidos a bordo que haviam apontado dois casos positivos.

O navio de cargas MSC Giselle permanece impedido de operar até 23 de maio. O isolamento de 14 dias foi decretado no dia 9, após um tripulante ter resultado positivo em teste rápido para Covid-19. Todos os 23 tripulantes do navio foram testados e os resultados ainda são aguardados. A pessoa que teve resultado positivo desembarcou para atendimento médico.

O capitão do navio de cargas Skywalker, que está atracado no Porto de Santos, veio a óbito na madrugada desta segunda-feira (18). Técnicos da Anvisa estiveram na embarcação e até o momento não há suspeita de Covid-19.

A hipótese é que o capitão filipino, de 40 anos, tenha sofrido um ataque cardíaco. A Anvisa vai acompanhar o desembarque do corpo que, para ser liberado, depende dos procedimentos do IML e da Polícia Federal.

MSC Seaview, maior navio da temporada brasileira, segue atracado no Porto de Santos — Foto: Marco Silva/Futura Press/Estadão Conteúdo

O navio MSC Seaview, que estava em quarentena desde 30 de abril, foi liberado do período de isolamento no Porto de Santos na sexta-feira (15). Os 615 tripulantes foram testados para coronavírus. Na primeira coleta, foram identificados 86 resultados positivos para Covid-19. A empresa marítima realizou uma segunda coleta para contraprova, e dos 86, 14 casos foram confirmados.

Com o fim da quarentena, o MSC Seaview pode realizar o desembarque de tripulantes para repatriação ou mesmo deixar o porto, de acordo com o interesse da empresa.

O navio de cruzeiros MSC Musica foi liberado da quarentena no dia 5 de maio. A liberação aconteceu após 14 dias sem que a embarcação registrasse novos casos ou suspeitas de Covid-19 a bordo. Os desembarques dos tripulantes começaram na terça-feira (12), com repatriação de duas pessoas.

O MSC Poesia não entrou em quarentena, pois não houve registro de casos a bordo, mas permanece em Santos.

O Costa Fascinosa chegou ao Porto de Santos no dia 17 de março. No dia 19, entrou em quarentena, sendo liberado somente no dia 27 de abril. Desde então, o navio já desembarcou cerca de 400 tripulantes para o procedimento de retorno aos países de origem.

Cabe à empresa organizar a operação de repatriação, articulando as questões relacionadas aos voos, datas e horários. Também é de responsabilidade da empresa a consulta formal ao Ministério das Relações Exteriores para realizar o desembarque e repatriação.

[ad_2]

Source link

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *